IMPRENSA

 
Imprensa  >>  Lareiras valorizam decoração e trazem sofisticação ao imóvel
 
Lareiras valorizam decoração e trazem sofisticação ao imóvel
 
Quem nunca sonhou em passar o inverno em um clima aconchegante em frente a uma lareira? Esta opção está se tornando cada vez mais presente tanto em projetos de decoração de residências quanto em apartamentos. Além de proporcionar um ar sofisticado para o ambiente, as lareiras podem ainda valorizar a decoração e o preço do imóvel, na opinião de arquitetos.

Atualmente, o consumidor pode encontrar modelos de lareiras convencionais (a lenha), elétricas (aquecedor) e a gás. Todas as opções são indicadas para salas ou dormitórios. Entretanto, os especialistas alertam que antes de realizar a instalação, o morador deve tomar alguns cuidados.
 
A primeira preocupação deve ser com a chaminé, que exige uma tubulação adequada para que a fumaça não invada o ambiente. “A chaminé tem de ficar alta, senão ocorre o mesmo problema de churrasqueiras, quando a fumaça entra dentro de casa”, afirma a arquiteta Glaucya Taraskevicius, de Santo André. Segundo a profissional, os brasileiros não possuem “a cultura do frio” e muitas das lareiras construídas acabam se tornando um adorno na residência. “Por isso, a melhor opção é a lareira elétrica, que também oferece praticidade na hora da limpeza”, revela Glaucya.

Atualmente, mesmo as residências que não possuem uma boa estrutura para a instalação de dutos para a exaustão da fumaça podem ser equipadas com uma lareira. Kits elétricos ou a gás são boas alternativas de aquecimento do ambiente escolhido. Sem precisar de chaminé, os modelos elétricos não possuem fogo e funcionam como aquecedores. “Todo mundo está optando pelo modelo a gás, em que você acende o fogo e não tem fumaça. É igual a um fogão, mas com todo o aspecto de lareira. O único problema é levar um ponto de gás até o local”, adverte o arquiteto Carlos Massi, de Ribeirão Pires.

O profissional revela que é necessário colocar o produto em um ambiente que possua uma boa ventilação e recomenda cuidado com a distância em relação a outros móveis do cômodo. “No mínimo, é necessário dois metros de distância de qualquer objeto.”

Para construir uma lareira, o morador poderá contratar um pedreiro ou comprar um modelo pré-fabricado. Nesse último caso, as lareiras são feitas em chapa de aço galvanizado ou em concreto refratário. A diferença está no preço e na montagem. 
 
Os modelos de concreto custam menos e os de chapa de aço são mais leves e vêm com uma estrutura metálica pronta. 

As lareiras pré-fabricadas podem ser encontradas na versão tradicional, para ser revestida com alvenaria, e no modelo de uso aparente, no qual é necessário quebrar as paredes e furar o teto para a construção de um duto. 

Para um acabamento mais clássico, Patrícia Vezzaro, proprietária da Vezzaro Mármores, aconselha a utilização do mármore Marrom Imperial, Verde Alpi e o Travertino Romano. 

Para Patrícia, o acabamento escolhido pelo morador é o que proporcionará estilo para o projeto. “Os granitos não são tão usados. A procura maior é pelo mármore”, garante.

 

Modelos pré-fabricados são mais vendidos

De acordo com lojistas, os modelos pré-fabricados de lareiras são os mais comercializados devido à facilidade de montagem e colocação nos ambientes, já que muitos dispensam a construção de uma chaminé. De acordo com Sérgio Luiz Cassab, gerente geral da Construflama, loja especializada em lareiras há 25 anos, os modelos a gás ganharam maior “simpatia” dos consumidores há apenas dois anos
Na Construflama, é possível encontrar cinco tamanhos de lareiras pré-fabricadas, com preços que variam entre R$ 1.150 e R$ 1.820. Os modelos a gás variam de R$ 2,5 mil a R$ 3 mil. Nestes valores não estão inclusos os gastos com o acabamento, que variam em cada obra realizada.
“Os modelos a gás são muito utilizados em apartamentos”, afirma Maria José Czimmermann, diretora comercial da Bella Telha, de Mauá. A loja especializada em lareiras, que está registrando um aumento na procura do produto devido à proximidade do inverno, dispõe de kits a gás que custam desde R$ 800 até R$ 5 mil. 
Segundo a diretora comercial, as opções de lareira a lenha variam de R$ 1,2 mil a R$ 2 mil. “Os gastos restantes ficam por conta do acabamento”, diz Maria José. O morador poderá optar pelo acabamento de tijolinho, que não embutirá gastos adicionais, ou ainda de reboque, que possui preço acessível.
Independentemente do preço, a lareira deve ter uma câmara de fogo – onde se coloca a lenha – com plaquetas refratárias e fundo levemente inclinado para frente, o que garantirá que o calor fique no ambiente por mais tempo e não escape pela chaminé. 
“Até dois anos atrás, a lareira convencional (a lenha) era campeã de vendas. Hoje, a procura é igual tanto pela convencional quanto pela a gás. A elétrica caiu em desuso”, garante a diretora da loja Bella Telha
Para Maria José, a lareira a lenha constitui um sonho de consumo para muitas pessoas. Entretanto, a profissional diz que o ideal é que o projeto esteja previsto antes da construção do imóvel. – GY